sexta-feira, 24 de junho de 2011

A poesia de Giraldoff


Oculto-me nas horas

Assim me inverto
Assim se verte o tempo
Incerto


Como um vaso
vazando
no vazio


Vertendo invisíveis transparências
Derramando transparentes invisibilidades

Sombras brancas que flutuam

Fluem como memória
Afluem como palavra
Tornando-me incessável poema

Como verso de um sonho insano
Que florescido murchou


Abismos de lava suspensa
Oblíquas espirais de chama triangular
Anguladas lâminas em lábios diagonais


Metades sobre metades
Partes de partes incompletas
Como macilentos traços
de um retrato ensandecido


Delírios sobre delírios
Ecos perdidos (quase gritos)
Em emudecido sustenido


Mantos negros (talvez céus)
Detalhes de um destino por incumprir


Inabitável é a hora
Ocultado é o tempo que me pausa, agora

Do outro lado do mundo os mitos nascem em verso


Poema de Giraldoff (Filipe Campos Mello)

********************************************

Vejo-te talvez no reverso do teu imaginário e gosto de te sentir parte de um mundo que me é tão vasto, quanto a tua viagem que se destina a ser só uma viagem sem destino, ou só com um objectivo de ser um destino incerto.
Esse tempo que nos tem juntos, leva-nos para um sítio certo, como certos sãos os nossos passos em volta de um fundo, tão fundo como o mar de sensações à espera de enchentes de um novo tempo

Essa dualidade talvez me tenha muito próximo, ou muito longe de ser o teu reverso, cumprindo um destino certo, de te ser verso inteiro com vários destinos a cumprir do outro lado do mundo……esse mundo que eu adoro, e quero perto, mesmo sendo por si só, um mito.

Esse estado alerta, que se nota cada vez mais na tua poesia e que mes transporta para lugares de sonho, mesmo que esses lugares sejam ainda só uma alegoria de um mundo que só existe no teu imaginário, ele é tão real, quanto o teu corpo á espera de novas sensações. Esse corpo que serve de apogeu a todo e qualquer poema, que a tua alma faz chegar até mim….


Dolores Marques

2 comentários:

. disse...

Uma honra ter minhas palavras em teu espaço,
emolduradas por um belíssimo e tocante comentário.

Bjo.

Mª Dolores Marques disse...

O prazer de te ler e de ter como amigo é para mim a forma mais sublime de ser quando me revejo nas tuas palavras


Beijinho meu